A injustiça da corrupção nesse Brasil


Diante de tal cenário na conjuntura política e econômica do país o Brasil parece estar imerso de cabeça na corrupção. Fora os vários casos, grandes ou pequenos, que permanece ocultos diante da sociedade e dos poderes públicos, os que são noticiados hoje em dia pela impressa mostra o quanto a corrupção no Brasil cresceu desde o tempo da invasão dos portugueses no idos de 1500.
Infelizmente a corrupção não  está somente nas grandes obras da Petrobras ou no Mensalão ou nas grandes instituições públicas ou privadas, apesar destes maus exemplos vindos daqueles que deveriam dar bons exemplos, essa cultura de corruptela parece que impregnou no meio de toda a sociedade, desde os mais pobres aos mais ricos.
É bom que em muitos casos, como os que estão nos noticiários do dia a dia, se tenham conhecimento com investigações e punições, pois a corrupção é uma mal corrosivo que afeta principalmente os mais fracos, pois  ela é uma das contravenções mais difíceis de ser descoberto, posto que são acordos entres pessoas ou entidades e enquanto estes acordos permanecem em  sigilo, entre eles, corruptos e corruptores, o negócio rende, é só quando a coisas se torna estrondosa, escapando dos limites dos envolvidos, ou quando há desconfiança por parte dos órgãos investigadores, ou de denúncias, que se tornam evidentes os atos de corrupção.
 Diante de um país corrupto por natureza ser uma pessoa honesta parece desafiar a ordem natural. Devolver uma maleta de dinheiro que foi esquecida no aeroporto é um fato extraordinário que ganha manchete nos jornais do país. Achar um objeto sabendo do seu real dono, segue o lema: achado não é roubado. Dentre tantas façanhas que se criou para extorqui o próximo, e até quem nem próximo é, o Brasil virou símbolo internacional do jeitinho malandro de ser.
Nossos governantes são exemplos vivos de uma corrupção generalizada e organizada. A conversa de que somos uma república democrática é linda na teoria, mas na prática não funciona. Eles governam somente para eles. O povo é somente um substantivo (muitas vezes abstrato) palavra usado para embelezar os discursos de Vossas Excelências.
Vide no congresso, as CPIs (Comissão Parlamentar de Inquéritos), que são comissões para investigar crimes que muitas vezes eles e os próprios colegas cometem, muitas vezes não dão em nada, ainda mais com essa tal de imunidade parlamentar, pretexto para praticar delitos.
 
Estes que forem presos ou se entreguem à polícia, depois de alguns tempo terão suas penas convertidas para o regime semiaberto, reduzidas ou em "prisão" domiciliar com tornozeleiras eletrônicas, isso quer dizer que eles ficaram "presos" dentro de suas próprias mansões em seus confortos particulares, recorrendo com seus melhores advogados. Ao contrário do povo (esse concreto) presos até injustamente, sem direito a nada, mesmo que tenham algum não são respeitados.
Por que milhões, dos trilhões, que são recuperados voltam para as mesmas empresas ou bancos que se dizem vitimadas mas que compactuaram com a corrupção? Por que estes valores não vão para o povo como investimentos? Os bancos e as empresas multimilionárias já sugaram tanto, mas tanto...
 Enfim, não quero ser pessimista demais, mas será que não há um justo se quer nesta Gomorra?
   
Infelizmente é esse o Brasil que vivemos. A corrupção sempre imperou nestas terras tupiniquim, vieram com os portugueses e desde então é um câncer em evolução e parece não ter fim. E  é essa corrupção que drena toda riqueza do país, o pobre cada vez mais pobre e o rico cada vez mais rico.  Uma grande injustiça. Me pergunto até quando?
Prefiro não ter tanta confiança nas instituições, apesar de esperar que elas funcionem bem. Pois, na minha visão o futuro não será tão promissor como alguns esperam. Mas fazer o que? O mundo sempre foi um campo de batalhas!
     

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mostra-te

O Deus do Velho e do Novo Testamento

John Bunyan: Um retrato de si